domingo, 30 de novembro de 2008

Jorge Palma - O Centro Comercial Fechou



E o presente é uma réstia de esperança enquanto houver saúde !

sábado, 29 de novembro de 2008


Nasceu em 29 de Novembro de 1921, em Estremoz. É a 4ª de uma prole de seis. Filha de um carteiro e de uma costureira de capotes alentejanos, sabe contar como ninguém histórias do seu tempo de menina, das traquinices entre irmãos, e da vida dura que levavam. Vem para Lisboa com 20 anos, já a trabalhar nos correios onde trabalhou toda uma vida como telefonista. Ai conhece um técnico de telecomunicações, com quem casa, tendo o casal 10 anos mais tarde uma única filha. Possui uma extrordinária força, e tem uma frase como apanágio que resume a sua maneira de estar na vida "tudo o que damos aos outros, Deus nos faz retornar em dobro". Toda a sua vida deu e se deu aos outros. É a minha Mãe e faz hoje 87 anos. Parabéns Mãe.

Chama-se Amália, não canta o fado, mas sabe muito bem fazer coros ....

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Com muito carinho deixo-vos aqui algumas recomendações

Com esta súbita vaga de temperaturas baixas que nos atingiu, e como me preocupo imenso com vocês, resolvi deixar-lhes hoje aqui, algumas recomendações para o frio:

- Mantenha a higiene pessoal (nada de se desculpar com o frio para se tornar num grande javardolas)

- Aumente a capacidade de enfrentar o frio, através da exposição controlada ao frio, utilizando duches frios inicialmente rápidos, após o banho quente (duches frios sempre foram uma boa opção ...)

- Não fazer exercício físico intenso ou ao ar livre e evite arrefecer com a roupa transpirada no corpo (nada de pensar portanto em ir para a neve fazer exercícios de aeróbica, ou qualquer outro tipo, a neve é mesmo só para praticar aquele grande desporto em que é utilizado um saco de plástico, vulgarmente denominado de Sku)

- Faça pequenos movimentos com os dedos, os braços e as pernas: evitam o arrefecimento do corpo (esta parte é fixe, especialmente se tivermos alguém por perto, arriscamo-nos sempre a dar uma bofetada ou um pontapé a alguém, e há por aí tantos que bem merecem ...)

- Se tiver que realizar trabalho com muito esforço, proteja-se com roupa adequada e vá doseando o esforço (o exercício deverá portanto ser praticado com um aquecimento inicial, e seguidamente o esforço deverá ser em crescendo (de tentar evitar os danos colaterais nem me atrevo a falar!))

- Se vai viajar de automóvel tenha em conta que pode ficar bloqueado (uiiiiiii !! uiiiiiiiiiiiiii !!! há lá coisa mais interessante que ficar bloqueado dentro de uma viatura)

-Evite viajar sozinho de automóvel (bem, acompanhado sempre tem mais piada, mas se tivermos sozinhos olha que se lixe, é uma questão de puxarmos pela imaginação - se pensarmos bem há tanta coisa que se pode fazer sozinho, oh!! oh !!!!)

Termino assim este post, esperando do fundinho do coração que ele tenha tido alguma utilidade para vocês, só para não dar por mal empregue o tempo que perdi a escrever esta porcaria ...

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Não sou pessimista, o Mundo é que é péssimo.

" Nessa longa história da humanidade, em que ponto tomámos uma direcção errada que nos levou ao desastre em que estamos hoje, e do qual somos responsáveis ? A literatura pode salvar o Mundo ? Como ? Principalmente depois de tudo o que já se escreveu. Como é possível não conseguirmos mudar o rumo das nossas vidas ?

Os direitos humanos não existem, estão apenas escritos num papel e não são cumpridos em nenhuma parte. As populações não os conhecem sequer. A grande causa que deveria mobilizar toda a gente é a reivindicação dos direitos humanos.

Quantos delinquentes existem no Mundo ? A violência já atingiu o nível da barbárie. A corrupção chega a tal ponto que é um problema de linguagem. É preciso conquistar, triunfar. Ninguém se arrisca a dizer que o seu objectivo é ser bom. Querer ser bom numa época como esta, é voluntariar-se para a extinção. Como chegámos a isto ? A saída é a transformação individual - para mudarmos a vida é preciso mudarmos de vida."

Palavras de José Saramago, em entrevista aos jornalistas, em S. Paulo, no lançamento mundial do seu novo livro "A viagem do elefante".

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

"..., deixei de examinar-me ao espelho para me comparar com as mulheres perfeitas do cinema e das revistas e decidi que era bela pela simples razão de que o desejava ser " Isabel Allende em "Eva Luna"

Nós somos exactamente aquilo que desejamos ser, basta lutarmos para isso. A vida muita vezes coloca-nos obstáculos que no preciso momento em que são vivenciados nos parecem barreiras intransponiveis. Basta-nos ter a força suficiente para os contornar, para os derrubar. São estas vitórias que engrandecem a nossa vida.

"A mente selecciona, exagera, atraiçoa, os acontecimentos esfumam-se, as pessoas esquecem-se e, no fim, resta apenas o trajecto da alma, esses escassos momentos de revelação do espírito. Não interessa o que me aconteceu, mas sim as cicatrizes que me marcam e distinguem" Isabel Allende em "Paula"

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Os filhos são como os livros, são viagens ao interior de nós próprios

"Minha mãe era uma pessoa silenciosa, capaz de dissimular-se entre os móveis, de perder-se no desenho do tapete, de não fazer o menor ruído, como se não existisse; contudo, na intimidade do quarto que dividíamos, ela se transformava. Começava a falar do passado ou a narrar as suas histórias, e então o aposento se enchia de luz, desapareciam as paredes, dando lugar a incríveis paisagens, palácios abarrotados de objectos nunca vistos, países longínquos inventados por ela ou tirados da biblioteca do patrão; colocava a meus pés todos os tesouros do Oriente, a lua e mais ainda. Reduzia-me ao tamanho de uma formiga, para eu sentir o universo a partir da minha pequenez, punha-me asas para vê-lo a partir do firmamento, dava-me uma cauda de peixe para conhecer o fundo do mar"
Isabel Allende em Eva Luna

Há mães assim, há mães diferentes. Comum a todas o dar asas para sentir o universo, ou caudas de peixe para conhecer o fundo do mar. Comum a todas a entrega total.


segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Para alguém que neste momento sente que o seu mundo por que tanto lutou e onde investiu tanto de si própria se desmoronou. Para alguém que terá de encontrar um novo caminho, e que até o encontrar se irá inevitavelmente sentir um pouco perdida, um pouco vazia. Aceita esta etapa como um desafio, como uma prova, lutadora como és num ápice encontrarás outro mundo, de certeza ainda mais aliciante e mais bonito que este.

Novo método de defesa

Não há dúvida que a idade continua a ser sinónimo de sabedoria. E quando quem nos devia proteger não nos protege, o melhor mesmo é tentarmos desenrascar-nos sozinhos.
Bora lá aprender qualquer coisita com esta Cota ?

video

domingo, 23 de novembro de 2008

Agradecimento !


Foi um amigo, que me trouxe até aqui. Comecei por escrever uns textos farruscos que ele publicava no blog dele, depois por brincadeira comecei a comentar em vários blogs, e dai nasceu o meu, com o nome que usava nos comentários "A Concorrência". A partir daí comecei a conhecer-vos a todos, e a gostar de cada um. Aproximou-me de vocês o vosso conceito de AMIZADE, de dádiva para com os outros. Os nossos encontros em cada fim-de-semana passaram a ser quase como uma terapia. Cantar, rir, brincar, receber e dar carinho, são o melhor antídoto para qualquer problema. Por escolhas particulares houve quem se afastasse, houve quem continuasse, mas sem aquele brilho que é uma das nossas características quando estamos juntos. Depois vieram mais amigos exactamente com as mesma maneira de sentir a amizade, a solidariedade, a entrega ao próximo. Uma há que embora tenha a separar-nos dela o imenso Atlântico, consegue o milagre de estar sempre tão presente como todos os outros. A amizade sente-se, não se diz, e talvez por isso me seja tão gratificante estar com todos vocês. Como hoje decidi que queria agradecer-vos a todos pelo carinho que me têm dado, e por serem os seres humanos espectaculares que são, deixo aqui os vossos nomes por ordem alfabética, para não ferir susceptibilidades: Fátima, Letícia, Lua, Maria, Patrícia, Rogério, Zá, Zé, obrigada por terem trazido mais cor à minha vida. Bem hajam !

P.S. E que muitos outros se juntem a nós, porque a amizade quando é desinteressada e verdadeira é uma das melhores coisas que temos na vida.

sábado, 22 de novembro de 2008

Marc Anthony - Mi gente



Dá ou não vontade de dançar ?

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

A tua pequena dor - Rui Veloso

Para todas aqueles que assumem que sofrem, para os que gostam de inventar que sofrem, para os que usam a vingança para tentar adormecer o sofrimento, e finalmente para aqueles que para mim são heróis, os que sofrem em silêncio.



A tua pequena dor
quase nem sequer te dói
é só um ligeiro ardor
que não mata mas que mói

é uma dor pequenina
quase como se não fosse
e como uma tangerina
tem um sumo agridoce

de onde vem essa dor
se a causa não se vê
se não é por desamor
então é uma dor de quê?

não exponhas essa dor
é preciosa é só tua
não a mostres tem pudor
é o lado oculto da lua

não é vicio nem costume
deve ser inquietação
não há nada que a arrume
dentro do teu coração

talvez seja a dor de ser
só a sente quem a tem
ou será a dor de ter
a dor de ir mais além

certo é ser a dor de quem
não se dá por satisfeito
não a mates guarda bem
guardada no fundo do peito!
Ainda falando sobre os nossos jovens de hoje, quero partilhar com vocês o meu contentamento. Finalmente estou realmente e verdadeiramente orgulhosa de ser portuguesa. Vocês sabem que os nossos jovens ocupam o primeiro lugar da UE em interesse em acompanhar noticias sobre ciências e novas tecnologias ?

É uma triste realidade os pais terem hoje em dia menos tempo e menos apetência para acompanhar os filhos, para conversarem, para brincarem, para lhes lerem um livro ou para lhes contar uma história. Têm tantas outras coisas para fazer que é muito mais cómodo deixá-los sózinhos a ver televisão, a brincar com a playstation, com o gameboy, ou com o computador, sem qualquer acompanhamento por parte dos únicos com capacidade para os ensinar. É urgente a afectividade em troca do materialismo, é urgente o sentido de família em oposição ao isolamento.

Não é portanto de admirar que os nossos jovens que passam os seus dias sozinhos com máquinas, se interessem tanto por tecnologia. Como já disse atrás é de louvar este interesse dos nossos jovens, lamento é que esse mesmo interesse não seja extensível à aprendizagem da matemática, do português, do inglês, ou das ciências as disciplinas onde todos têm problemas e as únicas que lhes permitiriam compreender verdadeiramente esta constante evolução tecnológica.

Seja como for, continuo a dizer, vivam os nossos jovens pois é deles o futuro do nosso país.

O TEMPO DO MUNDO ÀS AVESSAS

Duas vizinhas encontram-se à porta de uma Escola, e travam este diálogo:

- Então o que é que a traz por cá? Eu vou agora ali à direcção da escola queixar-me. Veja lá que a minha filha me disse que lá na escola não há máquinas de distribuição de preservativos na casa de banho das raparigas. Só na dos rapazes. Não é uma vergonha?


- Um escândalo. Depois se há problemas a culpa é dos pequenos! Eu também tenho de lá ir mas, infelizmente, é derivado ao comportamento do meu Ronaldinho.

- Não me diga que ainda é por causa da gravidez?

- Não, que ideia. Isso está tudo resolvido. Eles os dois trataram a questão com muito bom senso. Nem pareciam ter 13 anos! O aborto correu muito bem e o meu rapaz até já arranjou outra namorada bastante mais velha. Não, o que me preocupa é aquele grupo com que ele anda.

- Qual? A banda de rock satânico? Oh, minha amiga não se apoquente com isso. Nós lá em casa até dissemos ao nosso rapaz para criar uma. Antes isso que andar pelos ATL da paróquia com aqueles beatos a meter patranhas na cabeças dos miúdos. Na banda é muito mais seguro e saudável.

- Não, não é isso. A banda até é um excelente meio de educação. Ao princípio ainda me chocavam um bocado as letras das canções, a falar de suicídio e sangue, mas agora até acho graça. Não, é muito pior. Ele também anda metido em coisas mesmo graves com aquele outro grupo clandestino. Já ouviu falar, não? Aquele grupo de fumadores que no outro dia até apareceu no jornal por um deles fumar dentro do metro.

- Que horror! O seu filho fuma? Mas isso faz imenso mal à saúde e polui o ambiente. Então ele não pensa no aquecimento global? Esta juventude está perdida!

- Eu sei, eu sei! Tentámos tudo para o afastar do vício, mas nada. O meu marido até quis ver se o interessava em blogs pornográficos, chats neonazis e outras coisas que fossem também um bocadinho subversivas e clandestinas mas não fizessem tanto mal. A culpa é do meu homem e eu já lhe disse. Imagine que quando o miúdo era pequeno lhe dava pistolas e outros brinquedos de violência. Claro que tinha de ter esta consequência, não era?

- Que horror! E nos estudos, que tal anda ele? Os meus antigamente eram um castigo. Davam muitos erros de ortografia mas isso agora, com este novo programa para o insucesso escolar, deixou de criar problemas porque já não conta. E, mesmo na Matemática, o que interessa é a criatividade dos miúdos. Se os professores explicam mal que culpa têm os pequenos?

- Eu digo o mesmo. Se eles depois acabam todos no desemprego, ao menos gozem a juventude.

Texto de João César das Neves (Professor Universitário)


quarta-feira, 19 de novembro de 2008

A vida


” A vida não é uma fotografia, em que preparamos as coisas para que fiquem bem e em seguida fixamos uma imagem para a posterioridade; é um processo sujo, desordenado, rápido, cheio de imprevistos. A única coisa certa é que tudo muda.”
Isabel Allende


Se a vida fosse exactamente aquilo que planeamos, seria no mínimo um tédio. É no seu desordenamento sempre imprevisto, algumas vezes lento, outras rápido, e outras ainda rápido de mais, é no nosso esforço para tentar impor-lhe a nossa ordem que está a magia ... Todos nós sabemos que o que nos é oferecido sem esforço não tem o valor daquilo porque somos obrigados a lutar. As partes menos transparentes são as que devemos evitar, são as que nos obrigam a agir de modo a que não tenham qualquer significado no seu contexto geral. Eu diria portanto que a nossa vida não é realmente uma fotografia, porque ela é na verdade muitas fotografias, com instantes para que lutámos com todas as nossas forças para que fossem perfeitos, isto claro dentro do nosso conceito de perfeição.
Realmente a única coisa que temos como certa nela é que tudo muda (e ainda bem porque não existe coisa pior que a rotina) e é por essa inevitável e constante mutação que temos a obrigação de fazer em nós próprios as alterações necessárias, para que transformemos todas as suas etapas em fotografias tão perfeitas que as suas imagens possam ficar para a posteridade.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

A minha verdade sobre a verdade


Harold Pinter, prémio Nobel da Literatura em 2005, disse
:
No teatro, a verdade esquiva-se sempre. Nunca a encontramos por completo, mas é forçoso procurá-la. Essa busca é claramente aquilo que guia os nossos esforços. É essa a nossa tarefa. Na maioria das vezes é no escuro que tropeçamos na verdade, esbarramos nela, ou vislumbramos uma imagem ou uma forma que parece corresponder à verdade, muitas vezes sem nos darmos conta disso. Mas a verdade verdadeira é que, na arte do teatro, não há nunca uma verdade única que possamos encontrar. Há muitas. Estas verdades desafiam-se mutuamente, fogem, reflectem-se, ignoram-se, espicaçam-se, são insensíveis umas às outras. Ás vezes pensamos que temos a verdade de um momento na mão, e depois ela escapa-se-nos por entre os dedos e desaparece.

Eu digo, porque esta é para mim a verdade neste momento, e recuso-me a ignorá-la:
No teatro como na vida, a verdade é constantemente mutável para cada um de nós, a verdade não é universal, varia com as formas de pensar, com a maneira de sentir de cada individuo, mas apesar dessa sua inconstância, temos por obrigação encontrar a nossa verdade em cada momento, procurá-la, por muito árdua que seja essa tarefa, e mesmo que ela não nos seja favorável, temos por obrigação assumi-la, por muito doloroso que isso nos seja, porque só sendo totalmente verdadeiros, com nós próprios e com os outros, poderemos viver de bem com a vida.

Em banho Maria


Em banho Maria.
Sem frituras, sem fervuras, apenas em ebulição, em calma ebulição.
Sem salpicos, sem gritos.
Com a temperatura suficiente para estar atenta, viva, desperta, mas sem sobressaltos, sem estremecimentos.
Se me deixassem, se fosse possível,
se eu conseguisse,
se dependesse apenas de mim,
seria assim que eu viveria
em quente e sereno banho Maria.

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Espólio de Fernando Pessoa em leilão


Leilão virtual rende 284 mil euros a herdeiros de Pessoa

A Câmara Municipal de Lisboa espera a decisão do Governo para depois agir judicialmente. Para já, contentou-se em adquirir no leilão, por 3200 euros, o contrato de arrendamento da Casa Fernando Pessoa, onde o poeta viveu.

O leilão foi muito agitado. O director municipal da Cultura, Rui Pereira, tentou, através de uma providência cautelar, impedir a venda dos 26 lotes que considera pertencer à biblioteca já adquirida. Mas interpretações diferentes da lei, entre autarquia e advogados da leiloeira, levaram a que prosseguissem as vendas de todos os lotes . Na assistência, entre os curiosos e admiradores do poeta, devem ter estado, anónimos e calados, alguns dos familiares de Pessoa. E o poeta, o que diria de tudo isto?

Manuela Nogueira, sobrinha de Pessoa, justifica a sua atitude dizendo que já tinha sido assinado um contrato com a casa de leilões, mas acrescenta que na sua opinião não há motivo para preocupação, porque, independentemente de onde irão parar os originais, todos os escritos foram fotografados para que as cópias fiquem disponíveis para estudiosos.

A maior parte dos papéis de Pessoa pertence à Biblioteca Nacional; o restante, cerca de 2.700, aos seus herdeiros. Nesse caso, os originais contêm todo o tipo de anotações e outros detalhes que podem ser perdidos até mesmo com boas fotocópias.

"Para Portugal, não são apenas as sobras de algo sem importância, é Pessoa”, disse Eduardo Lourenço, um dos maiores criticos portugueses, “Um pintor faz um quadro com a idéia de vendê-lo; um poeta não escreve com a idéia de vender os seus papéis, muito menos Pessoa.”

Como é possível permitirmos que o espólio do grande poeta Fernando Pessoa corra o risco de sair da Pátria que ele tanto defendeu e amou ??????????????????????????????????????????????????

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Adeus RCTrio, até sempre

Quero começar por dizer-vos que não percebo nada de Tarot, e a bem da verdade nem estou muito interessada em saber, embora tenha sempre como principio que o saber não ocupa lugar, quero deixar aqui já esclarecido. Só que hoje pensei : o RCTrio merece um post especial a desejar-lhes toda a sorte do Mundo, dai ... Google ... pesquisa ... frase a pesquisar ... "O fim de um ciclo, o principio de outro". Pesquisa exaustiva em busca de uma ideia para um post com interesse, nada. Estava eu quase, mas mesmo quase, a desistir, e já a pensar pôr aqui um video do You Tube de uma música qualquer , como ... sei lá ...."Atrás dos tempos vêm tempos" do Fausto Bordalo Dias, ou "Nunca me esqueci (esquecerei) de ti (vós)" do Rui Veloso ou "Enquanto há força" do Zeca Afonso, ou ... (haveriam tantas para escolher ), quando me surge esta carta de Tarot, "O Mundo":
PERFEIÇÃO
CONCLUSÃO
SUCESSO - SEGURANÇA

REALIZAÇÃO
TRIUNFO
HARMONIA

Ela representa a Natureza e a Divina Presença que nela existe. Em cada mão deve trazer um bastão. Nos quatro ângulos da carta estão os quatro animais angélicos do Apocalipse. Acima, a Águia e o Homem; abaixo, o Leão e o Touro.

É considerada a melhor carta do Tarot. Representa a Integridade e a Recompensa.

Significado da carta: Conclusão, Boa recompensa, Sorte, Sucesso Total, Finalização das obras, Encontro do Amor, Lucidez, Liberdade, Felicidade, Satisfação, Sucesso, Realização.









Rui Cabral, Paulo Monteiro e Rogério Charraz como é exactamente isto que vos quero desejar, ofereço-vos portanto hoje "O Mundo"!

quinta-feira, 13 de novembro de 2008


Num Dia de Verão

Como quem num dia de Verão abre a porta de casa

E espreita para o calor dos campos com a cara toda,
Às vezes, de repente, bate-me a Natureza de chapa
Na cara dos meus sentidos,
E eu fico confuso, perturbado, querendo perceber
Não sei bem como nem o quê...

Mas quem me mandou a mim querer perceber?
Quem me disse que havia que perceber?

Quando o Verão me passa pela cara
A mão leve e quente da sua brisa,
Só tenho que sentir agrado porque é brisa
Ou que sentir desagrado porque é quente,
E de qualquer maneira que eu o sinta,
Assim, porque assim o sinto, é que é meu dever senti-lo...

Alberto Caeiro


quarta-feira, 12 de novembro de 2008

O tamanho interessa..... ás vezes

Para descontrair :
Iam caminhando pela floresta, um italiano, um português e um japonês. Quando encontraram uma tribo de canibais que lhes disse:

Vocês só saem daqui vivos se os três juntos tiverem no total 50 cm de pénis.

O italiano mostrou os seus 26 cm, o português mostrou os seus 22 cm e o japonês mostrou os seus 2 cm. Como completavam os 50 cm conseguiram sair ilesos

Enquanto se apressavam a fugir iam comentando:
O italiano diz: eu é que nos safei a todos.
O português comenta: Se eu não estivesse lá vocês estavam perdidos.
O japonês finaliza : A vossa sorte é que eu tinha tomado o milagroso comprimido azul .


Para pensar :

O Tamanho das Pessoas...

Uma pessoa é enorme para ti, quando fala do que leu e viveu, quando te trata com carinho e respeito, quando te olha nos olhos e sorri .

É pequena para ti quando só pensa em si mesma, quando se comporta de uma maneira pouco gentil, quando fracassa justamente no momento em que teria que demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas: a amizade, o carinho, o respeito, o zelo e até mesmo o amor.

Uma pessoa é grande quando perdoa, quando compreende, quando se coloca no lugar do outro, quando age não de acordo com o que esperam dela, mas de acordo com o que espera de si mesma.

Uma pessoa é única ao estender a mão, e ao recolhê-la inesperadamente torna-se mais uma. O egoísmo unifica os insignificantes.

Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande... é a sua sensibilidade, sem tamanho...

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Voltei !


Para a melga do Rogério que insiste na minha mudança ao fim de meio século de existência (tou a tentar devagarinho Miúdo, já sabes que aos 50 anos já não se têm ideias)

Para a minha querida amiga Letícia que lá tão longe, do outro lado do Oceano, me disse coisas lindas que me fizeram chorar. Adoro-te já a 80 amiga.

Para aquele que nunca me decepciona, que me sabe dizer sempre as palavras certas, e de quem eu hei-de ser sempre incondicionalmente AMIGA, Zé Manel e também para ti Fátima.

Para os meus filhos que me dão o seu carinho incondicional, sempre, nos bons e nos maus momentos.

E finalmente para o meu Amori, que me atura quando choro, quando grito, quando fico sem forças para lutar, me apoia sempre em todas as atitudes sejam boas ou más, e que em conjunto comigo tenta resolver os problemas quando eles surgem.

ESTE BLOG COMEÇOU NOVAMENTE A FUNCIONAR

(a remodelação é minha, é uma remodelação interior)

sábado, 8 de novembro de 2008

Fechado para remodelação

Para os que são tudo para mim

Dedico esta música a todos aqueles que amo.
Ao meu Amori, à minha Filhota, ao meu Filhote, à Sofia, ao Rogério, e a todos aqueles que sei serem realmente meus amigos.
Michael Bublé - Everything

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Bom fim de semana para todos

Pink Floyd - Learning to Fly

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Colecção cromos portugueses - Nº. 2

Lembram-se dele ? o nosso amigo calceteiro, cantor, político, escritor e tudo o mais que ele pense que possa ser, e que nós (os Portugueses) lhe permitamos que seja.

Aqui podemos "admirar" a sua faceta de cantor.
A canção com uma letra de grande profundidade, uma música que fácilmente entra no ouvido (mesmo de quem seja surdo) e um nome tão sugestivo só podia ter sido escrita por Tino de Rans Poeta.
"Põ, põ, põ, com mantega é bem bom".


Diz-se um homem que não gosta de projectos, mas sim de obras.
Aparvalhemo-nos então com a sua faceta de político. Digam lá se não gostavam que os nossos políticos fossem todos assim tão "autênticos" como ele.
(Num Congresso do P.S.)


Podemos ainda ficar estupefactos se lermos a sua autobiografia chamada "De Palanque Em Palanque". Não resisto a partilhar convosco um pequeno excerto desse livro:
"Há nove meses atrás, dei comigo a passar para o papel aquilo que me ia na alma. Em pequenino, sempre tive a mania de que um dia iria ser escritor, mas daí até o ser, a distância era muita. Pensei: ou agora ou nunca. Se não me ponho fino, ainda passo ao lado da realização de um sonho de qualquer homem."

Grande homem! Conseguiu por Rans no mapa (antes não aparecia nem nas coordenadas dos GPS ), dignificar a profissão de calceteiro (uma profissão muito mal vista antes dele aparecer), mostrar que um cantor para ter sucesso não precisa de saber cantar, ensinar aos politicos como é possível sê-lo sem perceber nada de politica, e realizar o seu sonho (seria o único que tinha ?) de ser escritor.

É de mais homens deste calibre que precisamos neste nosso Portugal ...

Tive de regressar à pressa ! Foi por Ela !

Acabou! Tudo acaba um dia! É hoje, foi hoje, algum dia teria de ser, o fim, o fim de um projecto tão lindo como lindas são algumas das pessoas que o conceberam.
Quando algum projecto que criámos com o entusiasmo próprio de quem acredita no seu sucesso acaba, fica sempre um vazio. Até eu, que nada fiz para que ele tivesse pernas para andar, sinto esse vazio. Imagino o que sentes neste momento, e sinto o meu, pequeninito , e o teu, concerteza gigantesco, vazios.
Acredito em ti, na tua força, na tua capacidade de vencer obstáculos, na tua inteligência, sei que o que quer que seja que venhas a fazer a seguir, te será ainda mais gratificante. Sei que irás conseguir o sucesso profissional que ambicionas e que mereces. Estarei sempre aqui, para te apoiar em todas as decisões que tomares, e para te ajudar naquilo que me for possível. Adoro-te muito Filhota. Tenho um enorme orgulho em ti !
O teu futuro há-de ser tão risonho e tão lindo, como tu e o teu sorriso! Palavra de Mãe !

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Hoje vou até Paris, venham comigo !

Hoje não ficarei aqui, não quero, não posso, recuso-me ! Hoje vou viajar, mas não irei sózinha!
Venham todos comigo (todos sem excepções), vai ser divertido ... vamos até Paris, querem? Hoje vamos passear nas margens do Sena, vamos passar juntos e de mãos dadas todas as suas pontes, vamos subir a Torre Eiffel e lá bem do cimo gritar com todas as nossas forças e em uníssono: viva a nossa amizade ! Vamos brincar juntos como crianças nos Champs Élysées e no Arco do Triunfo brindaremos à vida. Finalmente em Montmartre cantaremos a uma só voz como só nós sabemos fazer "La Boheme" do Charles Aznavour. Pode ser ?

Capítulos, etapas, ciclos de vida

É preciso saber quando uma etapa chega ao final. Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas, que precisamos viver...


Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos - não importa o nome que damos, o que importa, é deixar, no passado, os momentos da vida que já se acabaram...


Podemos gastar muito tempo do nosso tempo a pensar por que aconteceu. Podemos dizer, para nós mesmo, que não daremos mais um passo, enquanto não entendermos as razões que levaram, certas coisas, que eram tão importantes e sólidas na nossa vida, a serem subitamente transformadas em pó...


Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: companheiros, amigos, familiares, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que estamos parados...


Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem connosco. O que passou não voltará...


Não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem, noite e dia, uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor possibilidade de voltar. As coisas passam e o melhor que fazemos, é deixa-las ir embora...


Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja) destruir recordações.


Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que acontece no nosso coração e o desfazer-mo-nos de certas lembranças, significa, também, abrir espaço para que outras tomem o seu lugar. Deixar ir embora, soltar, desprender-se...


Ninguém joga nesta vida com cartas marcadas, portanto, às vezes ganhamos, e às vezes perdemos. Não esperemos que nos devolvam algo, não esperemos que reconheçam o nosso esforço, que compreendam o nosso amor...


Paremos de ligar a nossa televisão emocional deixemos de assistir sempre ao mesmo programa.


Encerremos ciclos, não por orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque, simplesmente, aquilo já não se encaixa mais na nossa vida...


Fechemos a porta, mudemos o disco, limpemos a casa, sacudamos a poeira. Deixe de ser quem era, e transforme-se em quem você é.

(Paulo Coelho)



terça-feira, 4 de novembro de 2008


A vida é feita de pequenos nadas, de partidas, de chegadas. De partidas e chegadas para sempre, ou por instantes, breves ou longos. De chegadas gratificantes, de partidas que doem sempre. Quanto ás chegadas pouco ou nada podemos fazer para que aconteçam, podemos demonstrar aos outros como são importantes para nós, e pouco mais. Nas partidas, muitas vezes temos um papel activo, por erros que cometemos, outras vezes, acontecem sem que tenhamos nenhuma participação no desencadeamento das situações que a elas levaram.

Sei que me doem sempre muito mais a mim as partidas que aos outros, sei que as chegadas me são também sempre muito mais gratificantes. Sei que ninguém tem culpa que seja assim, e até acrescento, não me importo de sofrer mais, porque também sou mais feliz (se estes tipos de sentimentos podem ser quantificáveis). Há muita coisa em mim de que não gosto, mas esta não é uma delas, tenho orgulho até, em ser como algures alguém já disse "um poço de emotividade" .

Há pessoas neste momento que gostaria de ver, que gostaria de abraçar. Sei que talvez um dia isso seja possível, até lá ficarei com a saudade.

Mudam-se os tempos mudam-se as vontades.

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades

Há histórias universais que passam de geração em geração e se mantém durante séculos. Uma delas é a da justificação para a chegada de um bebé, a velha história da cegonha que traz as crianças de Paris.
Parece-me no entanto, que hoje em dia já não há criança que consiga ver alguma lógica nesta história. Nas telenovelas, que vêm na televisão desde que nascem, cegonhas são personagens que não aparecem muito. Na publicidade que passa por aí também é raro ouvirmos falar em cegonhas, os D-Zert , a Floribela, mesmo o Ruca e o Noddy também não me parecem ser grandes fans desta espécie animal. Como queremos então que as nossas crianças de hoje achem verosimel a história das cegonhas e dos bicos e de Paris e dos bebes ?

Penso até, que face a tanta informação que lhes é fornecida desde que nascem, conseguiram dar este outro contexto à história:
Resta-nos portanto tentar fazê-los perceber o porquê da escolha da cegonha enquanto símbolo de natalidade. Resta-nos dar-lhes a conhecer que a cegonha é um animal com características dóceis e protectoras, que presta um carinho especial às outras aves, especialmente ás doentes e ás mais velhas.
Curiosamente, e intimamente relacionado com este último ponto, os Romanos criaram uma lei que incentivava as crianças a cuidarem dos idosos, lei essa denominada Lex Ciconaria (Lei da Cegonha).
Uma vez que a cegonha faz o seu ninho ao lado das chaminés das casas ou noutro local alto, voltando sempre para o mesmo local para pôr os ovos e cuidar dos seus filhotes, habituamo-nos a associar à imagem da cegonha características de generosidade e fidelidade.

Temos portanto a obrigação de tentar que as nossas crianças voltem a interessar-se por elas, mesmo que elas façam os ninhos nos postes de alta tensão, dificultando o trabalho dos Engenheiros da REN, mesmo que já ninguém acredite na velha história das viagens desde Paris carregadinhas de bebés, as cegonhas deverão sempre continuar a ser um exemplo para nós.

Cegonha chavala tu mantém-te cool, a malta grama-te bué !

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Dia de Finados - continuação

Eram para ai sete e picos oito e coisa nove e tal ! Mesmo antes das castanhas, sem água pé !
video

Scrabble


Gostam de jogar ao Scrabble ? Eu gosto, mas nunca tenho grande sorte nas letras que tiro da bolsinha verde, portanto é muito, muito raro ganhar. Não é que me importe de perder (parecia mal se dissesse que me importava não ?), mas é sempre muito mais aliciante chegar ao fim do jogo, e GANHAR !

Hoje resolvi então começar a estudar o dicionário para estar preparada e conseguir sair vencedora da próxima vez que jogar.

Palavra para quando tiver muitos eeeeees :
Telemóvel - aparelho que quando lançado ainda na tecnologia analógica era somente usado para falar, já é usado para enviar SMS, tirar fotos, filmar, despertar, gravar lembretes. É portanto um aparelho que permite contactar outras pessoas quando precisamos de falar com elas em privado.

Palavra pequena para aproveitar um i quando tenho um m,a , e um l:
Mail - Correio transmitido pôr meios electrónicos, normalmente, redes informáticas. Uma carta electrónica contém texto (como qualquer outra carta) e pode ter, eventualmente, anexo um ou mais arquivos. É portanto um modo de contactarmos alguém em privado.

Palavra para quando tiver muitos gggggs:
Blogg - é uma página da Web, cuja estrutura permite a actualização rápida a partir de acréscimos de tamanho variável, chamados artigos, ou "posts". Estes são organizados cronologicamente de forma inversa (como um diário) . Permitem comentários dos leitores e são públicos, portanto tudo o que neles é escrito pode ser lido por qualquer pessoa que utilize a Internet.

Bem por hoje fico por aqui, estudar o dicionário é um trabalho um pouco enfastiante, amanhã prosseguirei este meu trabalho. Se quiserem que eu vos procure alguma palavra no dicionário telefonem-me ou mandem-me um mail se não quiserem que mais ninguém saiba, ou então comentem já aqui por baixo, e publicamente assumirão as vossas dúvidas.

Sejamos uns idiotas



Se partirmos do principio que ser idiota é ter ideias, e se tivermos a capacidade de só termos boas ideias, então facilmente chegamos à conclusão de que a idiotice é vital para a felicidade.

Há lá coisa pior que gente chata, gente que quer ser séria, profunda e sisuda. Brrr! A vida já é um caos, porquê fazer dela um tratado? Ter horas certas, guiar-nos pelo relógio, há lá coisa pior que os relógios ! Porque não comer quando nos apetece, fazer o que nos apetece apenas porque é aquele o momento certo e não a hora certa para o fazer?

Deixemos a seriedade para as horas em que ela é inevitável, para os momentos em que não conseguimos evitá-la: mortes, separações, dores e afins.

No dia-a-dia e sempre que formos capazes bora lá ser idiota! Porque não rir dos nossos próprios defeitos, e rir de quem nos aponta defeitos.

Todos os dias acabam milhares de casamentos não pela falta de amor, dinheiro, sexo, sincronia, mas pela ausência de idiotice.

Quem disse que é bom dividirmos a vida com alguém que tem conselho pra tudo, soluções sensatas, mas não consegue rir quando tropeça? Alguém que sabe resolver uma crise familiar, mas não tem a menor ideia de como preencher as horas livres de um fim de semana?

Alguém por ai algures disse "A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, bora lá cantar, rir, chorar, dançar e viver intensamente antes que a cortina se feche!"

Resumindo , tentemos com todas as nossas forças ser idiotas!

domingo, 2 de novembro de 2008

sábado, 1 de novembro de 2008

Vamos ?!?!



Vamos
Para a montanha russa
Vamos
ao carrossel
Vamos
Subir o Pão de Açucar
Vamos juntos
Lamber o céu

Vamos
Dançar até cair, ir
Juntos vamos
Morrer de rir

Esta noite é só pra nós
Hoje não terá depois
Hoje não terá porquês
Esta noite é pra vocês
Virem comigo
Até ao fim
Para o fim do mundo

Vamos
Perder a hora certa
Vamos
Pisar no chão
Vamos
Deixar a porta aberta
Juntos vamos
Para Plutão

Hoje não terá amanhã
Hoje o mundo é nosso Clã
Hoje não terá talvez
Esta noite é pra vocês
Virem junto
Até ao fim do fim de tudo