quarta-feira, 30 de setembro de 2009

A mais idosa candidata ás próximas eleições autárquicas em Portugal


“Estou muito velhinha mas a minha língua ainda está boa”


É a mais idosa candidata às eleições autárquicas. Teresa Santos Lopes, tem 97 anos e é candidata à Assembleia de Freguesia de Vila Franca da Beira, concelho de Oliveira do Hospital, distrito de Coimbra.

Teve oito filhos, é avó de 20 netos, tem 32 bisnetos e um trinetos.

É a primeira vez que se candidata a umas eleições autárquicas, mas tem o discurso político na ponta da língua.

Quem é Teresa Santos Lopes? É uma grande mulher portuguesa de 97 anos que resolveu candidatar-se a vereadora quando a neta não tinha dinheiro para estudar.

Faz a sua campanha política de casa em casa ao lado das duas filhas; mas quem conquista o voto é ela com a sua conversa fluente.

Assumindo-se como "muito politiqueira", tem uma visão de política de fazer inveja a muita gente: "Não se pode ir para uma junta ou uma câmara a pensar que vão os outros trabalhar por nós, não pode ser uma brincadeira O desemprego entre os jovens da Vila Franca da Beira e o estado da sua terra são alguns problemas que preocupam D. Teresa que vai continuar a chamar a atenção para os problemas da terra. Até porque como disse, pode estar "muito doentinha e velhinha mas a língua ainda está boa".

Será que é verdadeira aquela velha máxima "A idade é um posto" ? Uma coisa é certa alguém com a bonita idade de 97 anos poucas ambições económicas já deve ter, as suas ambições devem concentrar-se apenas em ajudar quem necessita e fazer deste nosso Portugal um país mais justo para todos os portugueses. A questão está em saber como fazê-lo.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Qual o assunto que mais lhe interessa ?




Tempos Quase Modernos (qual O Assunto Que Mais Lhe Interessa?)
(Roberto Mendes / Capinam)

Qual o assunto que mais lhe interessa?
Qual o assunto que mais lhe interessa?
Além da vida in vitro feita nas coxas
E vivida às pressas

A empresa da guerra
A mais-valia da morte
A última sentença
A violência nas ruas
O bio terrorismo

A soja transgênica
Clonagem da mente
Dos órgãos vitais
A nova ciência
Moral decadente
Tradição milenar
Outra tendência

Suicídio, livre arbítrio
Aborto consentido, eutanásia
A dívida congênita
O quinto partido, o tempo
Das máquinas

Monarquia playback
A república inventa
O eclipse lunar,
a decadência moral

A calota polar, o império dos egos
O vidente cedo, o cachimbo de Édipo
A paixão de Romeu, colapso dos mares
Crianças sem lares, a ausência de Deus

A assembléia dos loucos,
O juízo dos lobos
A vontade dos céus
A escala econômica em que o crime compensa

Qual o assunto que mais você pensa?

Sexo, amor, culpa ou inocência
A dieta do Papa, o segredo de Fátima
A última penitência

Bom dia Vietnã, boa noite Bagdá
Adeus Sherazade

Qual o assunto que mais lhe interessa?
Qual a verdade em que mais você pensa?

O fim da natureza
E o final da história
Glória, glória, glória?

Apenas uma canção invento agora
Um poema
A madrugada é silêncio, a dor acalenta

Esquece o início de tudo e o fim dos tempos
Deita no colo de tua amada
Onde da misteriosa expansão do nada
O universo se alimenta

Qual o assunto em que mais você pensa?
Qual é a verdade em que mais você sente?
Qual a mentira em que mais acredita?
Qual é o nome que você mais grita?
Qual é a força que mais te enfraquece?
Qual é a fome que mais te alimenta?
Qual é o prato que mais te apetece?
Qual é o mapa que mais te orienta?
Qual é o jogo que mais você ganha?
Qual é o ganho que mais te enriquece?
Qual é a perda que mais você chora?
Qual é a casa em que mais você mora?
Qual é a frase que mais você fala?
Qual é a fala que mais você cala?
Qual é o assunto que mais você teme?
Qual é o tema que mais ignora?

Qual o assunto que mais lhe interessa?

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Penedono !!!

Deixo-vos com as imagens possíveis de publicar, sem bolinha ao canto do ecrã, e agradeço mais uma vez a todos os que contribuíram para este fim de semana inesquecível, o vosso carinho e amizade.

Álvaro Gonçalves Coutinho, mais conhecido por “O Magriço”, foi um valente guerreiro português e um dos doze de Inglaterra ; nasceu em Penedono e era filho de D. Leanor Dias Gonçalves de Azevedo e D. Vasco Gonçalves Coutinho. Luís de Camões é o grande responsável pela divulgação do nome e das suas façanhas, pois incluiu n’Os Lusíadas o episódio dos doze de Inglaterra. Assim, parece que, nos finais do século XIV, doze damas inglesas foram injuriadas por doze cavaleiros, também ingleses, e apresentaram queixa ao Duque de Lencaster, pedindo-lhe que, por armas, defendesse a sua honra. O Duque, não querendo melindrar os cavaleiros, receando agravar um problema interno, lembra-se de alguns bravos cavaleiros portugueses que conhecera, ao lado do rei de Portugal, D. João I, seu genro, numa batalha contra Castela. São então enviadas algumas missivas, quer pelo duque, quer pelas damas, aos cavaleiros portugueses e a D. João I, que autoriza a expedição a Inglaterra. Os portugueses embarcam, num navio, no Porto, mas, o Magriço, líder da expedição,informa os companheiros que prefere fazer a viagem por terra, para poder conhecer novas terras e novas gentes...Chegados a Inglaterra, os onze portugueses preparam-se para o torneio... e , do Magriço não há notícias, para grande desgosto da dama que ele iria defender. Todavia, no momento em que se vai iniciar o combate, eis que, de rompante , o Magriço entra em campo, pondo-se ao lado dos seus companheiros. O confronto é breve, alguns ingleses são mortos e outros expulsos do campo; os portugueses celebram a vitória, recebem as homenagens das damas desagravadas e regressam a Portugal, mais uma vez sem o Magriço, que, não resistindo à sua curiosidade e espírito aventureiro, por lá fica mais uns tempos.O Magriço e os seus feitos, existiram mesmo e são atestados por documento existente na Torre do Tombo, uma carta datada de 26 de Dezembro de 1411, em que D. João, duque da Borgonha e conde da Flandres, reconhece os grandes serviços a si prestados por Álvaro Gonçalves Coutinho.

video

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

O nosso destino está, como sempre, apenas nas nossas mãos.



Aí senhor das furnas
Que escuro vai dentro de nós
Rezar o terço ao fim da tarde
Só para espantar a solidão
E rogar a Deus que nos guarde
Confiar-lhe o destino na mão

Que adianta saber as marés
Os frutos e as sementeiras
Tratar por tu os ofícios
Entender o suão e os animais
Falar o dialecto da terra
Conhecer-lhe o corpo pelos sinais

E do resto entender mal
Soletrar assinar em cruz
Não ver os vultos furtivos
Que nos tramam por trás da luz

Aí senhor das furnas
Que escuro vai dentro de nós
A gente morre logo ao nascer
Com os olhos rasos de lezíria
De boca em boca passando o saber
Com os provérbios que ficam na gíria

De que nos vale esta pureza
Sem ler fica-se pederneira
Agita-se a solidão cá no fundo
Fica-se sentado à soleira
A ouvir os ruídos do mundo
E a entendê-los à nossa maneira

Carregar a superstição
De ser pequeno ser ninguém
E não quebrar a tradição
Que dos nossos avós já vem

No próximo domingo ninguém será pequeno ou grande, todos teremos o mesmo tamanho, todos teremos a mesma importância, e o futuro (o nosso futuro) estará mais do que nunca nas
nossas mãos !!!

BOM FIM DE SEMANA PARA TODOS!!!

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

A extraordinária INTERNET ...



A Net é realmente uma coisa maravilhosa. Simplifica de tal modo a pesquisa de informação que até chateia ... basta interessarmo-nos por um assunto, gostar de pesquisar, e um pouco de tempo para a pesquisa e zás ... ficamos a saber o que queremos, o que não queremos, o que gostamos e o que não gostamos .

Passo a explicar: de há alguns dias para cá, tenho tentado recolher, através do Google, toda a informação que me pareceu relevante sobre o Parque Nacional do Douro Internacional, local que tenciono visitar num futuro muito próximo.

Fiquei a saber:

o que queria - quais os locais a não perder, qual o percurso que me permitirá ver o máximo no mínimo de tempo, a gastronomia, o artesanato, a fauna, a flora, o tipo de minerais que mais abundam nas rochas, o tipo de paisagem que pode ser vislumbrada , o ... o ... o ...

o que não queria - que existe um barco com partida e regresso em/a Miranda do Douro que navega pelo rio Douro, num percurso de cerca de 1 hora e meia, pela região denominada de "Parque Natural do Douro Internacional" ... e ... toda a informação sobre eles (barco e percurso) pode ser visualizada num site denominado de Europarques Hispano-Luso ... apenas em Espanhol !!! (até os horários das saídas do barco são indicados pela hora espanhola, e o percurso para chegar ao local de embarque está descrito em espanhol e para espanhóis !!!)

o que gostei - das belezas naturais que este nosso MAGNIFICO PORTUGAL, apesar de todas as pressões e de todos os lobbies, ainda vai conseguindo preservar.

o que não gostei - que continuemos a permitir sermos enganados, atropelados, ultrapassados e aniquilados pelos outros. Uma triste realidade que me leva a concluir que se mantém aquela nossa característica incapacidade de amar e defender os nossos interesses, o nosso património, a nossa cultura, e o nosso país.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Seguindo em frente ...


Diz-se que, mesmo antes de um rio cair no oceano ele treme de medo.

Olha para trás, para toda a jornada, os cumes, as montanhas, o longo caminho sinuoso através das florestas, através dos povoados, e vê à sua frente um oceano tão vasto que entrar nele nada mais é do que desaparecer para sempre.

Mas não há outra maneira.
O rio não pode voltar.
Ninguém pode voltar.
Voltar é impossível na existência.
Apenas podemos seguir em frente.

O rio precisa de se arriscar e entrar no oceano.
E somente quando ele entra no oceano é que o medo desaparece
Porque apenas então o rio saberá que não se trata de desaparecer no oceano, mas tornar-se oceano.

Por um lado é desaparecimento e por outro lado é renascimento.

Osho, filósofo indiano
















terça-feira, 22 de setembro de 2009

Post com bolinha ao canto do ecrã


scraps e gifs


Sempre me incomodaram falsos moralismos. Todos nós sabemos que uma palavra a que denominamos de "palavrão" é assim chamada porque não existiu ainda ninguém, necessariamente alguém influente, a quem lhe deu jeito que ela passasse a ser uma palavra extraordinariamente eloquente e de uma beleza harmónica fora do comum, ou qualquer outra treta do género.

O "que se _oda" é aquele baixar de braços saudáveis, o levantar de cabeça convencido e o seguir em frente determinado! "Ah não queres vir ? Que se _oda, vou eu sozinha!""Ah, vai trovejar e chover a potes ? Que se _oda não tarda muito voltará o Sol! O que se _oda no fundo é aquela esperança em dias melhores, como o arco-íris que irrompe num céu cinzento

Dizer "que se _oda" é evoluir, ou pelo menos tentar! É não ficar preso ao passado mau, é dar um murro na mesa, e voltar a sorrir para a vida.

A determinação e a garra de um homem ou uma mulher medem-se pela rapidez com que passam de um "_oda-se desanimado" para um "que se _oda aguerrido"! Demorei 1 dia a passar do post "_oda-se" para este. Deveria ter demorado menos, _oda-se! Que se _oda, hei-de melhorar! O que se _oda, dito alto e bom som, e verdadeiramente e profundamente sentido é muitas vezes a palavra mágica que nos permite "dar a volta por cima".

Hoje se querem que vos seja sincera estou-me marimbando para todos aqueles que se chocam com "palavrões". Quero lá saber, olha que se _odam !!!

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Dormência


O trivial roubou o meu espírito sem ritual ou gentileza
Levou as minhas frágeis esperanças
O trivial comeu as minhas vestes coloridas
Deixando uniformes para os dias cinzentos
Abafou as canções que acariciavam os meus ouvidos
Rompeu-se em ruídos de progresso

O trivial conformou-me em cidadã
Achatou-me nas estatísticas sociáveis
O trivial aproximou-me das animadas conversas
Colocou-me no meio da multidão de frases tolas
Censurou-me com os seus braços rijos
Embalando-me com rotinas e justas gratificações

Olhou-me com racionalidade e doutrinou-me
Embaçou os meus afectos e castrou-me as lágrimas
Mastigou as minhas tormentas e angústias
O trivial anestesiou os meus sonhos incontidos
Agora desço as escadas e já não sofro mais
Vomito o trivial para dele alimentar-me novamente

Sérgio Dantas

e fico-me nesta estúpida dormência com que me defendo ...

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Bué (você é)



Você aí ... você é bué ...
Com sambinha no pé
e coração cheio de fé ...

Good, Good Vibes. O Amor é bué. I feel good, very nice.

É este o "balanço" que desejo para todos nós este fim de semana ... bora lá ... como diz a Sara: follow me ...

quinta-feira, 17 de setembro de 2009



Meus amigos sou de vidro
Sou de vidro escurecido
Encubro a luz que me habita
Não por ser feia ou bonita
Mas por ter assim nascido
Sou de vidro escurecido
Mas por ter assim nascido
Não me atinjam não me toquem
Meus amigos sou de vidro

Sou de vidro escurecido
Tenho fumo por vestido
E um cinto de escuridão
Mas trago a transparência
Envolvida no que digo
Meus amigos sou de vidro
Por isso não me maltratem
Não me quebrem não me partam
Sou de vidro escurecido

Tenho fumo por vestido
Mas por assim ter nascido
Não por ser feia ou bonita
Envolvida no que digo
Encubro a luz que me habita.


Sou de vidro - Lídia Jorge

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

O riso é um sorriso que explode



"O riso é um sorriso que explode".

O riso é uma das
ferramentas mais
subtis e eficientes
para estimular
emoções positivas

Parece que somos geneticamente feitos para viver em comunhão. Talvez seja uma brincadeira da natureza: o riso cria laços entre nós

Talvez por isso os líderes mais bem-sucedidos são aqueles que conseguem extrair o riso de quem com eles trabalha. Um estudo com executivos realizado na Universidade de Boston, comparou o futuro sucesso com a capacidade de estimular o riso durante uma entrevista. Os executivos que foram considerados "excelentes" por 90% dos colegas e chefes - e que receberam as maiores bonificações financeiras - foram aqueles que fizeram o entrevistador rir com eles duas vezes mais que os executivos cujo desempenho foi considerado médio.

“O riso estabelece laços de amizade. Enquanto riem juntas, as pessoas deixam de lado conceitos como ser velho ou jovem, professor ou aluno, chefe ou empregado. Passam a ser simplesmente um grupo, desfrutando juntos a existência”.

Na entrevista de ontem a Manuela Ferreira Leite, Ricardo Araújo Pereira fez-me rir, e até gargalhar, a entrevistada mostrou-se igual a ela própria: sem graça nenhuma (será que para os sociais democratas rir é um estúpido hábito dos pobrezinhos, ou seja dos não ricos ?)!!!

Se há coisa que eu goste de fazer é gargalhar ...

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Está-se bem ... estás em Lisboa !!!

Hoje foi-me especialmente difícil escolher o assunto sobre o qual me apetecia escrever. Hoje eram muitas as coisas importantes dentro de mim. Poderia falar da vitória de del Potro a Federer, num jogo de ténis que durou quatro horas, da morte de Patrick Swayze, de todas as pessoas que vivem com carências neste nosso Mundo, da crise, do desemprego, de tanta coisa importante. Resolvi escolher duas, optando por não ligar a relevâncias, escolhendo-as porque têm a ver com coisas positivas para mim, com alguns sítios, alguns locais onde me é tão fácil sentir bem.

Começo por vos falar da minha casa, da minha sala nova, do meu quarto, de todos os cantos e recantos dela. Olho para cada objecto, para cada pormenor, e todos eles me trazem tão gratas recordações, todos eles me são tão perfeitos. Quando os vejo com olhos de ver, com estes meus teimosos olhos de amar, há sempre um sorriso quente, reconfortante, que se aninha dentro de mim.

Finalizo com o local onde trabalho. Por aqui abundam as vivendas, e por muito estranho que vos possa parecer, em plena Lisboa, a relação entre as pessoas assemelha-se à bonita relação humana que existe nas pequenas aldeias. Saudamos os vizinhos, no Quiosque perguntamos pela saúde da Fátima, mulher do dono, que afinal não tem aparecido porque tem um problema na coluna e está à espera de ser operada, na Farmácia o Nuno pergunta-me "então como está a situação do seu marido lá na Empresa? " "Já sabe se precisar de alguma coisa da minha parte estou à disposição", na mercearia mais conversa, no "Careca" há sempre risota garantida com as saídas do Sr. Carlos ou mesmo da Rosinha, nas "Madalenas" falamos do "Xampix" e da sua eficácia para deixar de fumar. E com todo este carinho é fácil sentir-me feliz.

Porque os dois assuntos que escolhi têm a ver com" Lisboa "e com " Está-se bem " deixo-vos com este video do " Rouxinol Faduncho", porque também ele, apesar de falar de coisas bem sérias, me faz sentir aquele pequenito sorriso dentro de mim.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Quem não gosta de borboletas ?


Borboleta é um ser irrequieto.
para vestes usa pólen.
tem um cheiro colorido
e babas de amizade.
descola por ventos
e facilmente aterra em sonhos.
borboleta tem correspondência directa
com a palavra alma.
para existir usa liberdades.
desconhece o som da tristeza
embora saiba afogá-la.
usa com afinidades
o palco da natureza.
nega maquilhagens isentas
de materiais cósmicos. como digo:
pó-de-lua, lápis solar
castanho-raiz, cinzento-nuvem.
borboleta dispõe de intimidades
com arcos íris
a ponto de cócegas mútuas.
para beijar amigos e vidas ela usa olhos.
borboleta é um ser
de misteriosos nadas.

Ondjaki, in "Há prendisagens com o xão"

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Né Ladeiras/Chico César

"O Atlântico é um berço de almas irmãs unidas pelas águas maternas" Ladeiras

"As águas que lavam o Cabo da Roca e o Cabo Branco são uma só, e tal como as canções elas se misturam, voluteiam " Chico César

Quem não se lembra dela e do seu "Sonho azul" ? e quem não o conhece a ele e à sua "Mama África" ;) ?



As asas

um homem em pé
um anjo caído
um corpo que cai em desgraça
uma alma que rola no chão
pode um anjo ou um homem
renunciar a essa condição?
não
o marmanjo é um anjo
com um arranjo de flores
pra uma mulher
feito com as asas cortadas
que Deus lhe deu
esse anjo tosco
é você
sou eu
vitral trespassado lodo iluminado
é você
sou eu
voar sem asas
lavar-se com as brasas
que o amor acendeu

Chico César

Deixo-vos, quanto a mim, em boa companhia, e desejo a todos anjo(a)s ou marmanjo(a)s, voos magníficos este FIM DE SEMANA !!!

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Refúgio a dois !!!


A vossa/minha prenda de aniversário vai finalmente ser "vivida/usada".

Será já este mês, num dos próximos fins de semana .

Depois de muita indecisão na escolha, chegámos à conclusão de que a região de Portugal (Continental) que menos conhecemos é a do Douro. Optámos assim pela Estalagem do Penedono, situada entre a Guarda e Vila Real (Douro Sul).

Deixo-vos este video para que possam imaginar o local, e
prometo reportagem pormenorizada quando voltar, agradecendo mais uma vez o vosso carinho.

video

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Os livros !!!


Diz-se que as conversas são como as cerejas, creio que as lembranças e os pensamentos também. A velocidade com que somos obrigados a viver a vida obriga-nos muitas vezes a adormecer as recordações. Basta no entanto por vezes uma palavra, um gesto, para as acordarmos dentro de nós. Foi o que me aconteceu hoje com um post de uma amiga.

"A invenção do amor" de Daniel Filipe. Até a capa é igual. " inventaram o amor com carácter de urgência deixando cair dos ombros o fardo incómodo da monotonia" ..."É preciso encontrá-los antes que seja tarde, antes que o exemplo frutifique, antes que a invenção do amor se processe em cadeia"... "Está em jogo o destino da civilização que construímos, o destino das máquinas das bombas de hidrogénio das normas de discriminação racial,o futuro da estrutura industrial de que nos orgulhamos, a verdade incontroversa das declarações políticas." ..."Importa descobri-los onde quer que se escondam antes que seja demasiado tarde e o amor como um rio inunde as alamedas praças becos calçadas quebrando nas esquinas". Num tempo em que nos negavam todos os direitos, até o direito ao amor nos era proibido. Um dos poemas que mais me marcou e que mais me influenciou no meu modo de estar na vida.

Lembro-me da alegria que tinha ainda criança, e mais tarde já adolescente, quando me ofereciam um livro, lembro-me das prendas que pedia no Natal e nos anos : livros !!!. Lembro-me da sofreguidão com que os devorava, sem intervalos. As refeições eram deglutidas com os livros à minha frente sem conseguir parar de os ler (ainda hoje tenho dificuldade em fazer intervalos quando os leio). Lembro-me de todas as noites ler livros aos meus filhos antes de adormecerem, primeiro histórias e contos, mais tarde livros mais sérios, e sei que eles se lembram ainda, de muitos desses livros que lhes li.

Hoje os livros foram substituídos pela televisão ou pelas consolas de jogos onde impera a violência. A maior parte das crianças dos nossos dias não é ensinada a gostar de ler. Tenho pena, muita pena, e a secreta esperança (como optimista que sou) que mais tarde ou mais cedo se inverta esta situação, e que o livro volte a ter para todos a importância que lhe é devida.

P.S. Mais uma vez peço desculpa pelo atrevimento, mas quando as recordações têm o peso que esta tem é dificil silenciar os pensamentos.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Somos nós que construimos a nossa estrada da vida sem sabermos se agora, se exactamente este milésimo de segundo não será o último. Cabe a cada um de nós escolher o seu percurso segundo os princípios em que acreditamos.

A minha estrada de vida foi construída tendo como prioridades o amor e não o ódio, a paz e não a guerra, a dádiva pelo puro prazer de ver a felicidade em todos os que me rodeiam, e não pelo que posso lucrar com ela, a verdade e nunca a mentira, a união e o colectivo, e o respeito, algumas vezes misturado com admiração, por todos, seja qual for o percurso que escolherem para si próprios.

Alguém que admiro ofereceu-me há tempos uma dedicatória que gravei no coração e que diz mais ou menos isto : já podes descansar, já contribuíste para transformar este nosso Mundo num Mundo melhor. São as palavras dos que admiro as que são importantes para mim.

Por isso sigo tranquilamente por esta estrada, orgulhosa do caminho que tracei, sem me preocupar em olhar para trás.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Beleza e simplicidade ...

"A beleza das coisas existe no espírito de quem as contempla."
David Hume

"A beleza ideal está na simplicidade calma e serena. "
Johann Goethe

A beleza é, no meu entender, uma omnipresença da morte e do encanto, uma risonha melancolia que discernimos em todas as coisas da Natureza e da existência, essa comunhão mística que sente o poeta... algo assim como um raio de sol dourado e poeira que esvoaça, ou como uma rosa caída na sarjeta"
Charles Chaplin





Fotos de JC, Praia de Formentor, Mallorca (uma praia paradisiaca onde estranhamente coabitam areia, pinheiros e o mar, de água quente e transparente com uma magnifica tonalidade de um azul quase verde).

sábado, 5 de setembro de 2009

Ontem ...

Mais uma noite daquelas : inesquecível !!!
Como em todas as outras nossas noites as palavras de ordem foram: AMIZADE, ALEGRIA, e CUMPLICIDADE .
Rogério Charraz e os extraordinários músicos que o acompanharam superaram todas as nossas expectativas. A multidão que pouco a pouco se juntou frente ao Palco Arraial cantou, dançou, vibrou e pediu "encores".


Como sempre sentimos a falta de todos aqueles que pelos mais variados motivos não puderam estar connosco.

A todos os amigos que nos fizeram companhia em mais uma noite BONITA o meu obrigada ... até já miudo(a)s.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Bom fim de semana !!!

Quem lá esteve o ano passado diz que foi assim:


Confesso que vai ser a minha "segunda vez" lá. A "Festa" tem no entanto este ano, para todos nós, um sabor muito especial: temos amigos em palco. Lá estarei como sempre a torcer/vibrar pelo/com o êxito da actuação daqueles a quem faço questão de demonstrar o meu apoio e o meu carinho.

Desejo aos que vão, e aos que preferem outras paragens, um fim de semana em GRANDE !!!

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Pá olha estou contente ...

E "sabes porquê ?"

Porque contrariamente ao que previa, ontem o primeiro dia do resto da minha vida começou e acabou da maneira mais perfeita que poderia decorrer (tomando como base, claro, a minha filosofia de vida) : em paz e amor (será que as pessoas estão a mudar ? deve ser da crise ...) .

Embora hoje as coisas por aqui se apresentem ligeiramente acinzentadas, vou tentar manter-me assim : feliz !!!


quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Recomeçar ...


"Born" Amar Amarni (2007)

Conta-se que um respeitável fazendeiro de 80 anos, verdadeiro sustentáculo de tradições seculares, tinha uma única e adorável neta de 8 anos. Homem rígido e acostumado a posições irrevogáveis dobrava-se no entanto a "quase todos" os pedidos da menina. Um belo dia, a criança, que conhecia o horror do avô em comer guisado de quiabos (embora soubesse também que ele jamais experimentara o sabor do mesmo) pede-lhe para que experimente "pelo menos uma colherzinha", daquele guisado que ela adorava. Ao que o octogenário e respeitoso senhor lhe responde "Sabes querida? Se atender ao teu pedido, corro dois riscos: o primeiro é não conseguir mesmo comer por não gostar do sabor, o segundo é que, caso goste do sabor, vou ter que assumir oitenta anos de erro!"

Claro que o maior risco era o segundo. A dificuldade de recomeçar um novo caminho, reconhecendo que havia um engano na posição anterior.

Todos nós temos o direito (senão o dever), de crescer todos os dias, no entanto teremos de ser nós a decidir por este renascer diário.

Até a própria felicidade é fruto de nossa decisão de sermos felizes.

Mudar não significa desconhecer os valores do passado. Significa evoluí-los. Não se trata de reinventar a roda mas sim de "flutuar" acima dos trilhos. E em breve nem precisaremos mais de rodas, só das grandes evoluções que fizemos a partir delas. Não percamos pois a oportunidade de crescer todos os dias e de buscar o recomeço sem medos, é esta a verdadeira delícia de se viver.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Ode ao amor.


"Love tree" - Amar Amarni

São tantas as formas de amar, tantas vestes tem o amor. Aos que fazem do amor pelo próximo o seu lema de vida, a todos os que tanto mais felizes são, quanto mais se dão, aos que fazem questão de semear carinho, conforto e amizade pelo próximo, ofereço este meu post, com uma secreta esperança , a de que alguma vez seja possível, bastando para tal o empenho de todos nós, a criação desta "cidade nova livre desde as pontas dos dedos" onde um dia "veremos nascer a madrugada debaixo dos braços para o último arrepio de todos os tempos: amarmo-nos." porque ( ouso eu acrescentar ) nada é mais gratificante que o amor.

Para quando a inversão de principios ? Quando o AMOR em todas as suas formas, for, para todos nós, o valor de maior importância, este nosso tétrico Mundo converter-se-á com toda a certeza num Mundo melhor.



Ode da liberdade II

Devíamos criar uma cidade nova

livre desde as pontas dos dedos as estradas
à polpa das palmas das mãos
as muralhas
até ao centro histórico
para nela vivermos séculos sem fim
e mergulharmos nos rios as linhas do destino.


devíamos criar uma cidade livre
nova
desde o vulcão
o nosso repouso em labaredas
para um primeiro beijo fora do território nacional
até à lonjura da maior viagem

dormirmos na pousada
que abriga tectos em estrelas
com os olhos fechados
trocados numa nova cidade até sermos ilha.

quando regressássemos

morávamos
na nossa grande casa da árvore
cravejados de folhas
pássaros e beijos
as mãos um do outro
polpa de maçã
só à espera de ver nascer
a madrugada debaixo dos braços
para o último arrepio
de todos os tempos
amarmo-nos.

Ana Salomé em "Odes
"